Tag Archives: Web Experience Factory

Bysutradi

Praticando com IBM Web Experience Factory

A IBM possui uma ferramenta chamada IBM Web Experience Factory, que propõe acelerar o desenvolvimento de soluções desktop, web e mobile usando os conceitos de Model, Builder e Profile.

Existem vários modelos iniciais, como mostra a imagem abaixo.

WEF - Modelos

WEF – Modelos

A forma mais rápida para você ver o potencial desta ferramenta pode ser percebida pelo modelo “Database View & Update”. Este modelo criará uma estrutura CRUD a partir de um JDBC previamente configurado e disponível no servidor (Tomcat, WAS CE ou IBM Portal, por exemplo). Em menos de 5 minutos você tem um CRUD funcional para uma tabela selecionada. Mostrarei esta funcionalidade em outro post.

Mas, para não perder a oportunidade, colocarei aqui uma dica que pra mim foi prática.

Quando trabalhamos com ferramentas de empresa internacionais, temos a necessidade de buscar conhecimento necessário no site do fornecedor ou qualquer outra fonte de informação disponível. E em 95% das vezes as principais fontes de informações estão no idioma inglês.

Recentemente instalei o WEF e ele acabou ficando no idioma português. Com isso, chega um ponto que fica ruim (pelo menos pra mim) ler um material em inglês e trabalhar na ferramenta no idioma português. Digo isso porque, normalmente, as traduções de termos técnicos não são lá, digamos, eficiente.

Dito isso, resolvi alterar o idioma do WEF para facilitar. E para fazer isso é bem simples. Altere a propriedade do atalho e acrescente -Duser.language=en -Duser.country=US como complemento do Destino.

Reinicie o WEF para a configuração ser aplicada.

É uma configuração simples que pode ser retirada a qualquer momento.

 

 

 

 

 

 

Bysutradi

Ferramentas para desenvolvimento de soluções móveis

A mobilidade, sem dúvida, veio para ficar. A cada dia vemos notícias das principais empresas do mercado divulgando investimentos e previsões promissoras para os próximos anos, seja para o uso em smartphones, tables ou qualquer outro aparelho que permita mobilidade.

Tanto é verdade que a IBM acaba de criar uma área chamada IBM Mobile Foundation para tratar exclusivamente deste assunto, já com previsão de receita na ordem de US$ 36 bilhões até 2015. Além disso, estimam que as vendas de tablets superem laptops nos próximos 5 anos.

Diante deste fato, as empresas investem em aquisições e melhorias de suas ferramentas para desenvolvimento rápido de soluções móveis.

Na IBM, temos as ferramentas IBM Worklight e IBM Web Experience Factory. Na fundação Eclipse temos o projeto Eclipse Pulsar (foco principal em plataforma BlackBerry, Motorola, Nokia). E temos várias outras no mercado.

A tabela abaixo apresenta a relação de algumas ferramentas com sua proposta de geração de artefato (nativo e HTML5):

IDEs / Plataforma Android Blackberry iOS Windows Phone HTML5
IBM Worklight x x x x x
IBM Web Experience Factory x x x
Microsoft Visual Studio 2010 x
Xcode x

Atualmente, as principais plataformas são Android e iOS, mas a Microsoft vem aprimorando seu Windows Phone e já possui alguns lançamentos previstos.

O interessante é que nenhuma das empresas citadas anteriormente são, de acordo com o Gartner, líderes de mercado em Mobile Application Development. O certo é que elas farão de tudo para serem reconhecidas neste quesito.

Mas além do desenvolvimento, precisamos pensar em outros pontos crítico para o sucessos de projetos de mobilidade, como:

Mobilidade veio para ficar.