Tag Archives: IBM

Bysutradi

Duplicar uma QM no IBM WebSphere MQ

Veja abaixo os passo para fazer a duplicação de uma QM no IBM WebSphere MQ (não gastará mais que 2 minutos).

1. Criar nova QM via MQ Explorer

2. Gerar DUMP da QM

cd /opt/mqm/bin

./dmpmqcfg -m -t all -x all > /var/mqm/backup/

3. Restaurar Backup na nova QM

./runmqsc < /var/mqm/backup/

4. Acessar o MQ Explorer e alterar a porta do LISTENER (para evitar conflito com a QM de origem).

Simples e rápido.

Bysutradi

Usando o RFHUtil

Para instalar e usar o RFHUtil para testar o envio de mensagens para o Barramento (MQ), execute os passos abaixo:

Faça o download e instalação do MQ Client na mesma versão do MQ. Basta descompactar o ZIP em alguma pasta temporária e executar o comando “setup” na pasta “Windows”. Não é necessário alterar nenhum parâmetro.

Faça o download do RFHUtil no site da IBM e descompacte o ZIP no local definitivo para uso da ferramenta.

Para acessar o ambiente das filas remotamente, é preciso de a variável de ambiente MQSERVER. Veja 2 exemplos abaixo:

Execute o programa “rfhutilc.exe” contido no diretório do RFHUtil.

Para enviar uma mensagem, preencha o Queue Manager Name e o Queue Name.

Clique em “Open File”, selecione o arquivo XML que compõe a mensagem a ser enviada e clique no botão “Write Q”. As mensagens são exibidas como no quadro abaixo, indicando sucesso.

Bysutradi

JSR 362: Portlet Specification 3.0

Lendo sobre a publicação de algumas JSR, encontrei uma que até então não tinha conhecimento: JSR 362: Portlet Specification 3.0.

Trata-se de uma nova versão para a implementação de portlets contendo as requisições abaixo:

  • Align with JEE 7 Specifications
  • Specify how resources can be shared between portlets
  • Improve support for mobile devices
  • Improve client-side support
  • Optimize support for Java Server Faces
  • Add Web Socket Support
  • Align portlets with the with OpenSocial standard
  • Extend the portlet eventing capability
  • Alignment with a future version of the WSRP specification
  • Additional extensions, corrections and clarifications to JSR 286

Esta JSR vem para mudar atualizar a especificação 2.0 que está disponível há mais de 5 anos (usando JavaEE 1.4) e deixaram os produtos um pouco defasados com as recentes atualizações da plataforma JavaEE, suas especificações e novos paradigmas de programação.

Esta JSR está na fase de formação dos membros, que de momento são:

  • eXo Platform
  • IBM
  • Liferay
  • Oracle
  • Red Hat

Senti falta da participação da OpenText, já que seu produto é um dos líderes de mercado em Web Content Management (junto com IBM e outros) de acordo com o Gartner.

Resta esperar o começo das atividades e liberação da primeira revisão. Esta JSR está prevista (inicialmente) para ser finalizada no fim de 2014, o que nos garantirá muitos lançamentos de produtos destes 5 concorrentes em 2015. Até lá, provavelmente estas empresas lançarão uma versão de seus produtos com algumas melhorias de funcionalidades para não ficaram estagnadas aguardando a finalização desta JSR.

Bysutradi

Praticando com IBM Web Experience Factory

A IBM possui uma ferramenta chamada IBM Web Experience Factory, que propõe acelerar o desenvolvimento de soluções desktop, web e mobile usando os conceitos de Model, Builder e Profile.

Existem vários modelos iniciais, como mostra a imagem abaixo.

WEF - Modelos

WEF – Modelos

A forma mais rápida para você ver o potencial desta ferramenta pode ser percebida pelo modelo “Database View & Update”. Este modelo criará uma estrutura CRUD a partir de um JDBC previamente configurado e disponível no servidor (Tomcat, WAS CE ou IBM Portal, por exemplo). Em menos de 5 minutos você tem um CRUD funcional para uma tabela selecionada. Mostrarei esta funcionalidade em outro post.

Mas, para não perder a oportunidade, colocarei aqui uma dica que pra mim foi prática.

Quando trabalhamos com ferramentas de empresa internacionais, temos a necessidade de buscar conhecimento necessário no site do fornecedor ou qualquer outra fonte de informação disponível. E em 95% das vezes as principais fontes de informações estão no idioma inglês.

Recentemente instalei o WEF e ele acabou ficando no idioma português. Com isso, chega um ponto que fica ruim (pelo menos pra mim) ler um material em inglês e trabalhar na ferramenta no idioma português. Digo isso porque, normalmente, as traduções de termos técnicos não são lá, digamos, eficiente.

Dito isso, resolvi alterar o idioma do WEF para facilitar. E para fazer isso é bem simples. Altere a propriedade do atalho e acrescente -Duser.language=en -Duser.country=US como complemento do Destino.

Reinicie o WEF para a configuração ser aplicada.

É uma configuração simples que pode ser retirada a qualquer momento.